Home  /  Sogipa  /  História

História

A Sogipa (Sociedade de Ginástica Porto Alegre) foi fundada como Deutscher Turnverein (Sociedade Alemã de Ginástica) em 1867 por um grupo de imigrantes alemães.

Principal Fundador da Sogipa, o comerciante Alfred Schutt
Principal Fundador da Sogipa, o comerciante Alfred Schutt

A Sogipa (Sociedade de Ginástica Porto Alegre) foi fundada como Deutscher Turnverein (Sociedade Alemã de Ginástica) em 1867 por um grupo de imigrantes alemães. A iniciativa foi do comerciante Alfred Schütt, que trouxe de sua terra natal (Hamburgo) a cultura Turnen, traduzida como "prática de ginástica". O empreendimento inicial contou com a participação de 25 sócios.

 
Desde sua fundação, o clube passou por momentos difíceis até acertar o passo. O "forte carvalho" que veio a se constituir a Sogipa não conseguia sair do projeto, sofrendo crises, desagregações. A existência entre os anos 1887 e 1892 de duas sociedades de ginástica em Porto Alegre mostra bem isso. É em 1892 que o quadro começa a mudar. Nesse ano, é fundado o Turnerbund (pela fusão do Deutscher Turnerverein ao Turnklub).

 

Em suas primeiras décadas de existência, a Sogipa tinha como atividades principais a ginástica, o tiro ao alvo, o teatro e a realização de reuniões dançantes. Nesse período, a ginástica era praticada apenas por homens. Com o passar do tempo e o desenvolvimento desta modalidade, surgiram grupos de ginástica de todas as idades. Também a natação e a esgrima começaram a fazer parte do leque de atividades do clube. As excurções ou passeios eram frequentes tendo como destino a "Caixa DÁgua", outros "arrebaldes" de Porto Alegre, como Belém Velho, ou localidades próximas à capital, como Canoas e Sapucaia do Sul.

 

Um espaço próprio para a realização das atividades foi, desde cedo, uma preocupação para os mais ativos sócios do clube. Depois de, no mínimo, três mudanças de endereço, sempre em propriedades alugadas, o clube arriscou a compra de um terreno para a sede própria (o termo "arriscou" é bastante apropriado, visto ter sido necessário um empréstimo para a compra e a construção). Em 1893, a recém criada Turnerbund adquire um terreno de 22,88 metros de largura por 43,50 metros de profundidade na Rua São Raphael (atual Alberto Bins) e lança o desafio de construir sua Turnhalle (pavilhão de ginástica).

A Pedra Fundamental
A Pedra Fundamental

Em agosto de 1895, foi colocada a pedra fundamental e, em abril de 1896, estava concluída a primeira fase da obra. Mas esta não era a única propriedade que o clube possuía. Desde os tempos do Deustscher Turnverein, a sociedade oferecia aos seus sócios uma "casa de banhos", localizada às margens do Guaíba, que recebia uma quantidade considerável de banhistas, cada qual nos horários destinados ao seu sexo e a sua idade. O famoso Badeanstalt (ou "basenho") foi destruído em 1917 por um mal explicado incêndio.

 

Ao entrar no novo século, o Turnerbund era uma instituição que já fincara raízes e dificilmente algo poderia colocá-lo abaixo. Levando em conta que, como outras sociedades de cultura alemã, a Sogipa sobreviveu à política de retaliação aos descendentes de alemães na Primeira Gerra Mundial, pode-se concluir que era uma sociedade forte. Considerando ainda que, diferentemente de outras sociedades, a Sogipa sobreviveu à Segunda Gerra Mundial, nota-se sua importância e influência na cidade.

 

As primeiras décadas do século XX foram fecundas para desenvolvimento social, esportivo e cultural do clube, mas, em especial, para que este marcasse sua existência como sociedade que primava pela preservação da sua identidade. Este foi seu sustentáculo para resistir as grandes mudanças a partir da década de 40, quando o clube passou a chamar-se "Sociedade de Ginástica Porto alegre, 1867 - SOGIPA". A partir de então, o clube passou a, cada vez mais, buscar um identidade brasileira, gaúcha e porto-alegrense.

Parque São João
Parque São João

A constituição do Turnerbund resultou num aumento do quadro social e foi acompanhado pela diversificação das atividades do clube. Na verdade, a impressão é de que o número de atividades e possibilidades crescia mais rapidamente do que o próprio quadro social. Nas décadas de 30 e 40, por exemplo, é muito fácil encontrar associados que se dedicavam ao mesmo tempo ao atletismo (em suas várias versões), ao punhobol, ao tênis, à ginástica e ainda cantavam, participavam da diretoria e o que mais pudessem fazer. Era uma época em que "se vivia o clube" todos os dias.

 

O século XX viu o esporte desenvolver-se na Sogipa: atletismo, botão, punhobol, tênis, basquete, vôlei, tênis de mesa, judô, bocha, patinação, futebol, além da ginástica, esgrima e natação. No âmbito da cultura, surgiram grupos folclóricos, como o de Bávaros e o de Cultura Gaúcha. Também se desenvolveram o Plenitude, reunindo pessoas da "melhor idade", e incrementou-se o acervo da biblioteca sogipana, além dos grupos de escoteiros e bandeirantes. Foram criados eventos para todas as idades, da criança ao idoso, do rock ao bolero, do tradicionalista ao clássico, do pequeno ao grande público, do traje esportivo ao gala.


O aumento do patrimônio é algo que marcou o clube no século XX. A já construída sede da Av. Alberto Bins receberia, ainda nas primeiras décadas, melhorias com o acréscimo da área junto ao terreno original (1910) e o tão desejado palco (1921). Mas o destaque maior deve ser dado à aquisição do campo de jogos no arrabalde de São João, onde até hoje é a sede da Sogipa.

Festas populares são tradição Sogipana
Festas populares são tradição Sogipana

A idéia de comprar o terreno surgiu da necessidade crescente de um campo de jogos, não só para os exercícios de ginástica ao ar livre, mas também para a prática do futebol, do tiro ao alvo e para a realização de festas populares alemãs. A distância do centro da cidade e o alto investimento necessário assustaram grande parte dos sócios. O terreno media 186 metros de frente a Av. Benjamin Constant e cerca de 590m de profundidade, tinha água potável e sombra, mas custava 18 milhões de reais. Somente um bom trabalho de convencimento, encabeçado por J. Aloys Friederichs, conseguiu vencer as barreiras para a aquisição.

 

Através de um empréstimo do Deustscher Hilfsverein (uma sociedade de auxílio) foi possível realizar o sonho. No dia 7 de janeiro de 1910, a área de terra onde hoje se encontra a Sogipa tornou-se prioridade do Turnerbund. O campo de jogos foi se tornando pouco a pouco a melhor alternativa para o crescimento do clube. Ali foram construídas as sedes dos departamentos e um estádio atlético (1940-1944) majestoso para a época, por iniciativa de José Carlos Daudt. Graças ao estádio, a Sogipa obteve, nos anos subsequentes, um alto desenvolvimento do atletismo e também grande visibilidade no cenário estadual. Hoje, o estádio José Carlos Daudt possui uma das melhores pistas atléticas do América Latina, instalada em 2003.

 

Em 1957, os esforços empreendidos por José Weimer Vianna começaram a ganhar a forma de um ginásio junto à sede da Av. Alberto Bins. Inaugurando em 1958, o ginásio recebeu uma série de eventos esportivos e sociais, como jogos e bailes de carnaval.

Com o passar do tempo e o crescimento da cidade, a tendência parecia levar o clube a concentrar seus investimentos na sede de São Jo&a

Primeira Sede Social
Primeira Sede Social

Com o passar do tempo e o crescimento da cidade, a tendência parecia levar o clube a concentrar seus investimentos na sede de São João. Inúmeras discussões sobre onde construir uma nova sede social - no centro ou em São João - povoaram as reuniões de conselheiros e diretores. A proposta vencedora resultou na sede social hoje existente, construída entre os anos de 1963 e 1971, entre as gestões dos presidentes Gerhard Theisen e Basílides Flesh. Aliada a outros emprendimentos patrimoniais, como as construções das novas sedes do tênis, dos escoteiros e das bandeirantes, e as obras nas piscinas, a Sede Social veio a beneficiar não só os associados, mas também à cidade de Porto Alegre com um moderno salão de festas e eventos. Todo o complexo passou por uma enorme reforma entre os anos 2002 e 2003 e hoje é considerada uma das principais alternativas de Porto Alegre para a realização dos mais variados tipos de eventos.

 

De acordo com a ideia de trazer para São João o maior número possível de atividades, a Sogipa adquiriu, durante segunda gestão de Basílides Flesch (1970 - 1971) mais um terreno. A antiga fábrica de acordeões Veronese dava lugar ao centro de esportes, o que ampliou as possibilidades técnicas das modalidades esportivas e as oportunidades de sediar eventos. Mais um investimento no sentido de ampliar e concentrar o patrimônio do clube em São João ocorreu na década de 80 quando a Sogipa vendeu a sede no centro (1980) e comprou a sede da Sociedade Libanesa (1985), situada ao lado do parque São João. Ali encontra-se hoje o Departamento de Cultura Gaúcha.

 

A Sogipa do século XXI não é mais a mesma que "Porto Alegre viu nascer". Nas últimas décadas, ampliou-se consideravelmente o quadro de associados, o número de atividades, as participações em eventos esportivos, as relações com outros clubes sociais. A Sogipa de hoje não é mais uma sociedade voltada aos descendentes de alemães ou à preservação da identidade étnica, mas um clube multifacetado, no qual diversos interesses, diferentes personagens se encontram e interagem.